Dados consomem 98% do tráfego das redes móveis, indica pesquisa

09/05/2014 08:41

Estudo feito pela Amdocs destaca a tecnologia LTE como forma de melhorar a experiência do usuário.

 

Pesquisa feita pela Amdocs, fornecedora de sistemas e serviços de experiência do cliente, registra migração quase completa do tráfego de voz para dados nas redes móveis. A análise destaca a urgência para que prestadores de serviço construam e otimizem redes móveis e possam, assim,  garantir o desempenho e a qualidade da rede, aumentando a satisfação dos clientes e criando novas oportunidades de receita.

A pesquisa anual State of the Radio Access Network (RAN) avaliou mais de 100.000 dispositivos de rede móveis localizados ao redor do mundo nos últimos 12 meses e analisou mais de quatro milhões de conexões de voz e dados. A rede de acesso via rádio oferece conexão móvel sem fio para telefones e tablets, utilizando uma combinação de tecnologias que incluem small cells e macrocélulas, utilizando3G, 4G (LTE) e Wi-Fi (para dados).

As principais conclusões da pesquisa realizada pela Amdocs incluem:

A participação do tráfego de dados na rede aumentou para 98%, contra 90% no período de 12 meses. O crescimento demonstra o impressionante consumo e compartilhamento de por parte dos assinantes de smartphones e tablets.

Demanda por dados lidera queda nas chamadas perdidas. A sobrecarga na rede levou a um aumento nos problemas durante a experiência de uso do cliente, a medida que a demanda por rede aumenta, e as chamadas de voz e dados perdidas aumentaram em 121%. Em localidades mais críticas a taxa de ligações perdidas foi de 17%. Embora estes números dão um forte alerta para a carga cada vez maior realizada pela RAN, o nível em que os clientes finais foram impactados dependeu da escolha do telefone móvel.

LTE (4G) melhora a experiência do cliente, mas não aumenta o tráfego de dados exponencialmente: O tempo para estabelecer uma sessão de dados LTE é menos da metade do 3G, oferecendo uma experiência de dados muito mais próxima à da banda larga doméstica. Embora o LTE resulte em algum crescimento no consumo de dados, o consumo de banda larga por dados (como vídeo) não aumentou, o que indica que os padrões de uso, possivelmente administrados pelos planos de dados, continuam pouco diferentes das redes 3G.

O tráfego de dados se torna a fonte principal de reclamações dos assinantes: As principais frustrações dos clientes incluem a falta de cobertura para dados (47%); pacotes mensais limitados (30%) e custos extras para download (16%)2.

Serviços de voz também cresceram, e os clientes estão ficando mais em casa: Apesar do crescimento de 16% nas chamadas de voz, a maior mudança foi nas ligações nacionais – que registrou uma aumento de 33% no uso de telefones móveis para chamadas locais. Com os usuários locais de dados tendo uma queda de até 50% na transferência de dados, essa mudança terá um impacto significativo na experiência do cliente.

“A pesquisa mostra que a mudança para o LTE (4G) oferece uma oportunidade de melhorar a experiência do cliente sem aumentar exponencialmente a demanda de dados”, diz Rebecca Prudhomme, vice-presidente de marketing de produtos e soluções da Amdocs. “Prestadores de serviço precisam enfrentar esse desafio e implementar soluções de planejamento e otimização para gerenciar uma base de assinantes cada vez mais ativa e que não apenas queira consumir dados, mas, também, os produza e compartilhe em tempo real”.

 

Fonte:Ipnews


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!