Escândalo de espionagem da NSA prejudica discussões sobre nuvem

02/03/2014 08:49

As revelações do ano passado de que a Agência Nacional de Segurança dos Estados Unidos (NSA, da sigla em inglês) coletava dados de americanos e estrangeiros provocaram um grande esforço na indústria de TI para tonar a nuvem mais segura, frisou Richard Clarke, CEO da Good Harbor e ex-ciberczar do Estados Unidos, durante o Cloud Security Alliance (CSA) Summit.

O vazamento de documentos durante os últimos oito meses, detalhando as operações de inteligência da NSA, causou um grande dano de imagem à política norte-americana e também problemas à uma série de multinacionais daquele país, sobretudo, aos provedores de computação em nuvem. Esforços para implantar diretrizes de segurança para cloud computing terão que suplantar os trabalhos de outros países que visam a implantar restrições ao armazenamento de dados e ampliar a competição no cenário de cloud, acredita Clarke.

“Empresas de outros países estão usando as revelações da NSA como ferramenta de marketing”, afirma. “Trata-se de uma grande hipocrisia. As pessoas estão surpresas com o trabalho de inteligência dessas agências na coleta de dados.”

Exigir que os provedores de nuvem mantenham os dados armazenados no país de origem (como tem defendido até o governo brasileiro) e não permitir que a informação transite pelos Estados Unidos demonstra, na visão do especialista, apenas um nacionalismo tecnológico e não torna o dado mais seguro. Hospedar informações na Europa tornará o acesso tão simples e fácil quanto deixa-lo nos Estados Unidos ou em qualquer outro país, argumenta Clarke.

 

Fonte:informationweek


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!