Mozilla aposta em escolha e privacidade para conquistar usuários

13/10/2015 15:13
CTO da Mozilla, David Bryant, também voltou a criticar a Microsoft e sua postura com o Windows 10.
 

2015 ainda está a alguns meses de acabar, mas certamente já podemos dizer que ficará marcado como um dos anos mais movimentados da história da Mozilla. Isso porque a desenvolvedora open-source já lançou neste período as aguardadas versões do Firefox paraWindows 10 e iOS, estreou o seu serviço de mensagens e chamadas Firefox Hello, viu novos smartphones com Firefox OS desembarcarem, além de diversos novos recursos para o seu conhecido navegador, que recentemente parece estar perdendo espaço para o Google Chrome.

Em entrevista ao IDG Now!, o VP de engenharia de plataforma e CTO interino, David Bryant, contestou os números de empresas como Net Applications que mostram o Firefox cada vez mais atrás do Chrome. “Esses números sobre market share são um pouco inconclusivos”, afirmou, destacando que a empresa nunca registrou tantos downloads do seu principal produto.

Conhecida por seu foco em segurança, a Mozilla vem apostando cada vez mais em recursos voltados para preservar a privacidade dos seus usuários. No final de setembro, a empresa liberou o beta do seu novo “modo secreto” chamado Tracking Protection. Como sugere o nome, o recurso bloqueia ativamente o rastreamento de terceiros. Para fazer isso, evita o carregamento de qualquer elemento de uma página que possa ter código criado para rastrear seus hábitos de navegação.“Temos liderado as iniciativas em privacidade já há um bom tempo”, destaca Bryant. 

Questionado se esse seria o maior diferencial da Mozilla junto aos seus usuários, o engenheiro despista um pouco, mas aposta nesse foco em segurança e privacidade para o futuro da empresa. “Não sei se esse (foco em privacidade) é o maior (diferencial). Nós temos muitos diferenciais e razões que fazem as pessoas preferirem a escolha e o controle que damos a elas no Firefox. Mas tendo nos estabelecido nesse tipo de posição (como líderes em privacidade) e conquistado esse respeito dos usuários, isso claramente é algo em que vamos continuar investindo de forma significativa para explorar e expandir, oferecendo mais e mais nos produtos.” 

davidbryant.jpg

Atual CTO interino da Mozilla, David Bryant já trabalhou em empresas como Nokia e Sun

Windows 10

Como já tinha ficado claro no final de julho, quando o CEO da Mozilla, Chris Beard, publicou uma carta aberta detonando a Microsoft e a sua postura com o então recém-lançado Windows 10 por dificultar a escolha do Firefox e outros browsers como o app padrão do sistema, Bryant também tem algumas críticas contra a empresa de Redmond.

“A nossa reação nesse caso foi por causa do nosso respeito pela escolha e controle do usuário. O que nos preocupava e continua a nos preocupar é isso: respeitar a escolha e o controle do usuário. Se eles (os usuários) já selecionaram um navegador padrão (no sistema), então obviamente essa é uma preferência que eles tem. Por isso, não concordamos com passar por cima disso ou manobrar os usuários para uma interface pré-configurada que não leve isso em conta. Então essa foi a essência da nossa reação: não respeitar a preferência do usuário e fazer isso de uma maneira confusa ou até mesmo escondida, dependendo de qual foi a experiência do usuário”, critica Bryant. 

Para quem não lembra, Os usuários do Windows 7 e 8.1 que fizeram upgrade para o Windows 10 não levavam a configuração de navegador padrão na mudança – a Microsoft configurava o seu Edge como o browser principal em qualquer situação. Para fazer essa mudança, era preciso alterar as configurações do sistema – um processo simples, mas mais trabalhoso do que era até então.

 

 

Fonte:IDGNOW

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!