MS e Espírito Santo: fundo para startups

17/03/2014 07:50

A Microsoft e a Espírito Santo Ventures lançaram o Brasil Aceleradora de Startups Fundo de Investimento em Participações (FIP), iniciativa com captação inicial de R$ 10 milhões e que servirá para fomentar o desenvolvimento de jovens empresas de base tecnológica.

MS e Espírito Santo vão acelerar startups. Foto: divulgação.


Além das duas empresas, o fundo conta com investimentos da QualComm Ventures e da AgeRio. O objetivo é atingir R$ 300 milhões para fomentar empresas emergentes e aceleradoras.

Pasa as startups, serão oferecidos investimentos entre R$ 120 mil e R$ 3 milhões. O fundo se diferencia dos outros projetos por atuar com jovens empresas, que conta com poucos  incentivos financeiros. Sendo assim, as organizações vão gerar crescimento e desenvolvimento para as empresas e para o país.

Além dos investimento, as startups selecionadas poderão contar ainda com um processo de aceleração em diversas frentes como mentoria em áreas estratégicas, apoio operacional, apoio tecnológico, espaço físico, business networking e apoio financeiro.

O objetivo do fundo é investir em novas empresas que possam contribuir para fortalecer a economia brasileira, com soluções concretas para áreas como educação, defesa e segurança cibernética, saúde, petróleo e gás, energia, aeroespacial e aeronáutica, eventos esportivos, agricultura e meio ambiente, finanças, telecomunicações, mineração e tecnologia estratégica, como nuvem, mobilidade e computação avançada de alto desempenho.

De início, o fundo irá escolher as empresas através do processo de seleção da Acelera Partners, rede de aceleradoras constituída pelo fundo e por sócios independentes, para atrair as startups.

Para ser selecionada, a startup deve ter faturamento anual mínimo de R$ 120 mil a R$ 3 milhões. O nível de maturação da empresa definirá a etapa de incentivo na qual será enquadrada.

Para aquelas em início de implantação e que têm faturamento zero, há uma etapa de aceleração (1º ciclo), que será gerenciada pela Acelera Partners.

As empresas que vencem esta etapa inicial de constituição entram em nova etapa (2º ciclo) para se prepararem para receber investimentos do fundo, conseguindo chegar a um faturamento de R$ 300 mil. Quem vencer as duas etapas estará habilitado a pleitear o investimento da aceleradora.

A Acelera Partners inicia suas atividades com duas startups. A VTX é responsável por todo desenvolvimento técnico da Plataforma de Reconhecimento do Produto (PRP) utilizada por alguns aplicativos móveis para reconhecer produtos ou outros itens em buscas pela câmera e imagens de celular. 

Atualmente os clientes são Netshoes, Netfarma, Dafiti e UOL; e Cerensa, que apoia empresas na implementação, automação e gestão de diretrizes de governança de políticas de sustentabilidade (emissões de gases do efeito estufa, Recursos naturais, resíduos e energia) para clientes como Odebrecht e CCR.

 

Fonte:BagueteTI


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!