Na corrida por Internet das Coisas, Cisco destinará US$ 1 bi para nuvem híbrida

26/03/2014 06:38

Em padrão totalmente aberto, companhia espera alcançar US$ 88 bilhões até 2017.

A Cisco informou na segunda-feira (24) que investirá US$ 1 bilhão para expandir sua área de nuvem híbrida em padrão aberto, com a solução OpenStack e ofertar serviços em nuvem nos próximos dois anos para atender a demanda de Internet de Todas as Coisas. A companhia espera que esse investimento aumente os resultados da área, e que os negócios passem de US$ 22 bilhões (2013) para US$ 88 bilhões até 2017.

Cisco lança telepresença ‘plug-and-play’ para aumentar adoção de vídeo

Segundo Robert Lloyd, presidente de desenvolvimento e vendas da companhia, a cloud privada já trouxe bons resultados para as equipes de TI, e a solução CITIES, estabelecida por Rebecca Jacobby, CIO da Cisco, reduziu o tempo de provisão da computação, de storage e rede de seis a oito semanas para 15 minutos “virtualizando mais de 92% dos nossos ambientes de data center também reduzimos o custo total de propriedade (TCO, em inglês) e do nosso ambiente de TI em mais de 62%”, declarou o gestor.

“Essa será uma nuvem como nenhuma outra”, prometeu o gestor. “Nossa nuvem será a primeira totalmente aberta e híbrida. Planejamos suportar qualquer fluxo de trabalho, hipervisão e interoperabilidade com qualquer nuvem”, detalha.

No anúncio feito pela companhia durante o Partner Summit Conference, em Las Vegas, na última segunda-feira (24), a Internet de todas as Coisas foi citada como a parte mais importante dessa estratégia - algo que já tem sido anunciado pela Cisco.  “Essa será uma nuvem construída para a Internet das Coisas, capaz de alcançar bilhões de conexões, e trilhões de eventos, suportados por dados analíticos em tempo real para ajudar os clientes a ter os insights que eles precisam para as conexões com pessoas, processos, dados e coisas, conforme acontecerem”.

Parte dessa estratégia prevê alianças, e a primeira foi selada com a Telstra, o maior provedor de serviços da Austrália, e a Cisco proverá a infraestrutura de cloud, e o provedor oferecerá serviços em nuvem da empresa e da Cisco aos clientes. “Esse é apenas um bom exemplo de como esperamos entregar capacidade local e escala global com serviços da Cisco e dos nossos parceiros, e a Telstra é o primeiro de muitos parceiros dessa jornada: Allstream, Ingram Micro, Logicallis Group, OnX Managed Services e Wipro também anunciaram suporte para o Intercloud”, comenta Lloyd.

 

Fonte:Ipnews


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!