NSA grava bilhões de conversas telefônicas de estrangeiros

24/03/2014 08:19

Novas revelações de Edward Snowden detalham o sistema RETRO da Agência Nacional de Segurança dos Estados Unidos

A Agência Nacional de Segurança dos Estados Unidos (NSA, da sigla em inglês) tem capacidade de captar e armazenar conversas de telefone de um país inteiro, de acordo com documentos revelados pelo ex-funcionário da agência Edward Snowden. O relato foi divulgado na quarta-feira (19/03), pelo Washington Post.

O programa MYSTIC pode gravar e armazenar 100% das conversas telefônicas de uma nação-alvo por 30 dias, dando aos analistas uma máquina virtual do tempo para investigar ações de inteligência de outros países.

O sistema utiliza uma ferramenta em operação desde 2011 chamada RETRO, que pode interceptar e manter gravações de bilhões de conversas telefônicas, de acordo com os documentos divulgados pelo Post. Esses documentos trazem o emblema do programa MYSTIC, que retrata uma animação de feiticeiro com um telefone em na ponta do cedro.

Operar o sistema RETRO e dar aos analistas a possibilidade de reproduzir conversas telefônicas selecionadas pediria uma grande estrutura de processamento e armazenamento. Um especialista em storage que conversou com a InformationWeek EUA, mas que pediu para manter o anonimato, estimou que armazenar as chamadas de um país com 180 milhões de pessoas (o tamanho do Paquistão, por exemplo, que não foi identificado como um país alvo) demandaria 12 petabytes de storage por mês. 

As revelações sobre o monitoramento e até arquivamento de conversas telefônicas não são totalmente novas. Detalhes do programa foram inicialmente descritos no orçamento da inteligência secreta, divulgado em outubro do ano passado também pelo Post. O documento identificou o programa MYSTIC como uma iniciativa que traria “metadados e acesso ao conteúdo”, mas ainda hoje não fica claro no documento em que situações e se a NSA está gravando chamadas em grande escala. A reportagem do Post, publicada na quarta-feira, não trouxe detalhes que pudessem facilitar a identificar de países que estariam no alvo das gravações ou mesmo a amplitude do programa, e isso aconteceu a pedido de oficiais norte-americanos.

A habilidade de coletar e armazenar bilhões de conversas telefônicas, não apenas metadados, vai de encontro aos recentes declarações da NSA e da própria Casa Branca. Quando Snowden revelou, em junho passado, que a NSA estava interceptando ligações telefônicas de americanos, o general Keith Alexander insistiu que a agência coletava apenas dados das chamadas e não o conteúdo delas.

No entanto, se a NSA, dentro do programa MYSTIC, identificar uma chamada de interesse entre um cidadão norte-americano e alguém em um país-alvo do programa, essa ligação estaria passível de interceptação e gravação dentro do banco de dados RETRO. O programa parece inconsistente também quando confrontado com o discurso do presidente dos EUA Barack Obama, que, em janeiro deste ano, afirmou que os Estados Unidos não estavam espionando pessoas aleatoriamente e sem que elas trouxessem qualquer ameaça à segurança nacional. 

James A. Lewis, diretor do programa de tecnologias estratégicas no Centro de Estratégia e Estudos Internacionais, afirmou à InformationWeek EUA, que não há nada particularmente novo nessas revelações. “A NSA coleta bilhões de mensagens, mas lê apenas algumas milhares” como parte do mandato de proteção da nação contra forças estrangeiras. “É melhor pensar que a NSA está criando um banco de dados de comunicações”. Ele também entende que as atividades da agência são consistentes com o que o presidente dos EUA diz sobre manter a inteligência da nação, ainda que algumas atividades sejam vistas como algo que adentre o campo da privacidade do cidadão.

Fonte:Informationweek

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!