Polêmica sobre homossexualidade derruba CEO da Mozilla

05/04/2014 09:02


 

 

Brendan Eich, sujeito que inventou o JavaScript, mal esquentou a cadeira de CEO da Mozilla e já teve de levantar para ir embora. E o que o derrubou foram suas convicções em relação aos homossexuais.

Em 2008, bem antes de Eich ser escolhido para assumir o cargo na Mozilla, o casamento entre pessoas de mesmo sexo foi proibido na Califórnia graças à aprovação da Proposição 8. Na época, Eich patrocinou políticos a favor da medida e ainda doou dinheiro para a campanha de aprovação.

Seis anos depois, no momento em que chegou à Mozilla, os funcionários da organização se lembraram disso e começaram a fazer pressão pela saída do CEO, num movimento que explodiu nesta semana com o envolvimento do site de relacionamentos OkCupid.

Quem tentava acessar o site com o Firefox era surpreendido por uma mensagem anti-Brendan Eich que incentivava os usuários do site a procurar outros navegadores para voltar à página – inclusive indicando os links dos concorrentes. Segundo a empresa, 8% dos relacionamentos que começaram pelo OKCupid são entre pessoas de mesmo sexo.

A pressão deu resultado, porque hoje a Mozilla informou que Eich não é mais seu principal executivo. Em comunicado, Mitchell Baker, chairwoman da organização, pediu desculpas pelo fato de a Mozilla não ter se posicionado, mas deixou claro que a decisão de sair partiu do próprio Eich.

A Mozilla ainda lembrou ser um espaço para diversidade, com apoio a diversas idades, culturas, etnias, gêneros, identidades de gênero, idioma, orientação sexual, localização geográfica e visões religiosas. Vale lembrar que a indústria de tecnologia pessoal costuma se engajar pela causa LGBT - Facebook, Tumblr, Google, Twitter estão entre alguns que demonstram apoio.

 

Fonte:olhardigital

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!