Projeto praças digitais seguirá princípios de neutralidade de rede

13/11/2013 06:24

Por meio de Consulta Pública, Prefeitura recebe contribuições e pretende elaborar ‘cartilha’.

O secretário de Serviços do município de São Paulo, Simão Pedro, anunciou na  última segunda-feira (11), a abertura da consulta pública sobre a política de privacidade do projeto praças digitais, que receberá contribuições da sociedade pelo site www.pracasdigitais.wordpress.com

Prefeitura de SP testa WiFi gratuito em praça e diz que pretende cobrir toda a cidade
Edital do projeto Praças Digitais pode sair na próxima semana

"Um dos objetivos não é só oferecer o sinal gratuito, mas é também incentivar o cidadão a ocupar o espaço público. É usar a praça", declarou o Secretário, durante a coletiva de imprensa.

Sergio Amadeu, professor de Políticas Públicas da Universidade Federal do ABC, enfatizou que a privacidade é essencial para a democracia e a proteção da atividade das pessoas, e lembrou do teste na praça Dom José Gaspar, encerrado em 11 de outubro.

"Ali ficariam registrados numa copiadora dados do aparelho celular da pessoa. Essa pessoa se locomove entre praças e nós saberemos onde essa pessoa vai estar, por isso que é importante que se tenha essa política de privacidade. Quanto mais você facilita a comunicação em rede mais você fica com os dados dessas pessoas."

A partir das informações coletadas, a Secretaria pretende elaborar documento com os princípios de neutralidade de rede, que garanta aos usuários do serviço navegar, sem ter seus dados coletados ou usados sem autorização e conhecimento, e assegurar o sigilo da comunicação e da navegação nas redes das praças.

Licitação

O projeto prevê instalação de internet gratuita em 120 praças na capital paulista, e até o final do ano a prefeitura informou que deve inaugurar pelo menos metade do prometido, que serão implantadas pelas empresas WCS e Ziva, habilitadas para prestarem o serviço de WiFi.

A WCS, que venceu os lotes I e II, administrará 24 localidades na região Central, inclusive o Parque da Independência e 36 na zona Leste; e a Ziva, que administrará os lotes III e IV, ficará com 24 locais das regiões Norte/Oeste, e 36 da Oeste/Sul. As companhias oferecerão acesso gratuito com velocidade de 512Kbps download/upload, e o investimento previsto para as duas empresas para os próximos três anos é de R$ 27,5 milhões.

 

fonte ipnews


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!