RFID entra na grade curricular de curso de Engenharia em São Paulo

26/03/2014 06:41

Graduandos do Instituto Mauá de Tecnologia terão disciplina no primeiro e último ano.

O Instituto Mauá de Tecnologia e a Associação Brasileira de Automação-GS1 Brasil firmaram um acordo para inserir a disciplina de radiofrequência (RFID, em inglês) na grade curricular da graduação de Engenharia de Controle e Automação, Elétrica e Eletrônica e ajudar a atender a demanda do mercado brasileiro para criação de projetos e implantação de soluções usando RFID.

De forma prática, a disciplina será ministrada no último ano do curso, mas no primeiro semestre os estudantes aprenderão princípios básicos e padrões de RFID avançado, como aplicações, características, padrões e oportunidades de negócios com o EPC/RFID (código eletrônico de produto). Também serão detalhados os componentes do padrão e iniciativas nacionais e internacionais de implantação da tecnologia.

“Para a GS1 Brasil, a parceria com universidades tem como objetivo transferir o conhecimento técnico, integrando a teoria com a prática e qualificando ainda mais os alunos", destaca Flávia Costa, assessora de Soluções de Negócios da entidade.

Durante o primeiro e segundo semestre, os estudantes aprenderão princípios básicos e padrões e terão aulas sobre RFID avançado, com conteúdo que inclui princípios da tecnologia, aplicações, características, e oportunidades de negócios com o EPC/RFID (código eletrônico de produto). Também serão detalhados os componentes do EPC e iniciativas nacionais e internacionais de implantação. "A parceria da GS1 Brasil com o Instituto Mauá de Tecnologia proporcionará ao aluno uma preparação diferenciada para um mercado que sofre com a escassez de profissionais especializados", explica Patrícia Amaral, assessora de soluções de negócios da GS1 Brasil.

A identificação por radiofrequência para capturar dados foi criada na década de 1980 e empregada a sistemas de rastreamento e controle de acesso. Atualmente, empresas adotam a tecnologia em processos de grande escala para melhorar a eficiência e aumentar a visibilidade. De acordo com estudos da Universidade de Arkansas, o RFID pode otimizar em 96% o tempo e esforço de contagem de um ciclo, e o Aberdeen Group afirma que varejistas estão são os que mais tiram proveito da tecnologia, que pode aumentar em 92% a precisão dos estoques.

 

Fonte:ipnews


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!