Vale a pena montar uma equipe de cientistas de dados?

25/11/2013 15:13

O surgimento do big data como um mecanismo capaz de promover insights (e potencialmente receitas) leva muitas equipes de gestão a se perguntarem: será que precisamos de um cientista de dados dentro de casa?
De acordo com Shashi Upadhyay, CEO da Lattice, provedora de aplicações de big data, não faz sentido para as organizações contratarem um único cientista de dados, por uma série de razões. Se o seu orçamento consegue bancar, montar uma equipe de cientistas de dados é o caminho a percorrer. “Se você olhar para qualquer indústria, as dez principais empresas podem se dar ao luxo de ter cientistas de dados e elas devem construir equipes especializadas”, afirmou o executivo.
Mas a solução não é a tão clara assim para as organizações menores. “O que vejo é que muitas vezes as médias empresas pensam no problema como ‘Eu preciso contratar um cientista de dados’. Mas a escassez de cientistas de dados, um problema que pode piorar nos próximos anos, faz com que essa abordagem torne-se uma proposta arriscada”.
Por exemplo, uma empresa pode contratar uma ou duas pessoas, “mas antes que você saiba, você já perdeu essas pessoas, que foram para outra empresa, já que oferta para esse grupo de talentos é muito superior à demanda. E de repente, todo um bom trabalho está perdido, e você se pergunta: “Por que isso aconteceu? E como posso gerenciar para que não aconteça de novo?”.
Um problema comum, observou ele, é que as empresas simplesmente não entendem os cientistas de dados e como eles funcionam. O trabalho geralmente requer o conhecimento de uma ampla gama de disciplinas técnicas, incluindo análise, ciência da computação, modelagem, estatísticas e negócios, acrescentou o executivo. “Mas muitas vezes é difícil encontrar essas habilidades divergentes em um único ser humano. É um pouco como olhar para um unicórnio”, avalia o executivo.
Quando as empresas de médio porte contratam apenas um ou dois cientistas de dados, muitas vezes elas não podem fornecer um plano de carreira a longo prazo para essas pessoas. Como resultado, esses profissionais se sentem frustrados e passam a procurar novas oportunidades. No Vale do Silício, por exemplo, onde há grande demanda e os cientistas de dados chegam a ganhar salários de seis dígitos, é muito difícil reter pessoas talentosas.
A melhor solução? Construir uma equipe. “Você com certeza vai obter benefícios se contratar uma equipe de cientistas de dados. E faça de tudo para se comprometer em criar de um plano de carreira para eles, pois assim você terá o tipo certo de talento, porque as pessoas vão querer trabalhar para você.”
As pequenas empresas que não podem pagar por equipes de cientistas de dados, ao invés disso, devem considerar as aplicações de big data. As maiores empresas – nas palavras de Upadhyay “as Dells, HPs e Microsofts do mundo” – podem adotar as duas abordagens: equipes de cientistas de dados e aplicações de big data.
“Eu raramente vejo equipes de uma ou duas pessoas. Obviamente as empresas formam essas equipes, mas elas tendem a evaporar ao longo do tempo, até chegar a uma equipe de 10 pessoas ou mais”, comenta. Então, qual é o custo de uma equipe de cientistas de dados e qual é a recompensa?
O executivo exemplifica: “Digamos que você contrate uma equipe de dez cientistas de dados com um custo médio anual de 150 mil dólares por funcionário. Isso representa 1,5 milhão de dólares pela equipe”, argumenta. “Então é melhor que eles gerem pelo menos 15 milhões de dólares em valor para você – o que representa dez vezes [a despesa] – para valer a pena.”

 

fonte informationweek


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!